Profile

Marcel Ribeiro Dantas @marcel3


About Me

Engenheiro de Computação (UFRN), aluno de especialização em Big Data (IMD/UFRN) e Mestrando em Bioinformática (PPGBIOINFO-UFRN), Marcel é Gerente de Projeto e Pesquisador no Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde (HUOL/UFRN). Co-fundador do PotiLivre, acumula um longo curriculum de contribuição com software livre.

Proposals

Bioinformática e Data Science

Nunca se falou tanto no valor agregado dos dados, chamado por alguns de o novo petróleo. E ao mesmo tempo, nunca tivemos uma quantidade tão grande de dados armazenados. Estima-se que só nos Estados Unidos, 2% de toda a energia produzida é consumida por datacenters, enquanto que os custos de sequenciamento de genoma tem despencado vertiginosamente. O que custou 2.7 bilhões de dólares para o Projeto Genoma, de 1990 à 2003, grosseiramente falando custou 100 mil dólares para o Steve Jobs em 2011, e hoje pode custar cerca de mil dólares para você. Essa abundância de informações digitais abrem espaço para que a computação, a matemática e a estatística sejam utilizadas mais do que nunca nesse campo interdisciplinar que congrega também a biologia e a química, dentre outras, e ficou conhecido como bioinformática. Com um maior enfoque na computação, veremos como existe todo um ecossitema que permite a aplicação na bioinformática de técnicas de Big Data, Machine Learning e muito mais. 

Do que se trata o Software Freedom Day?

O objetivo dessa apresentação é inteirar os presentes do jargão, no caso dos mais leigos, e introduzir os temas que serão abordados ao longo do evento. O que é software livre, do que se trata o Software Freedom Day, o que é o PotiLivre, uma rápida menção de licenças de software [livre] e o Projeto GNU.

E se os movimentos de software livre falharem?

O objetivo da palestra é buscar uma reflexão junto a platéia sobre os possíveis efeitos no futuro de nossa sociedade, caso os movimentos de software livre falhem em alertar e conscientizar a população dos perigos de um mundo dominado por softwares não-livres. Embora o público alvo seja aberto a qualquer pessoa interessada na temática de software livre, diversos temas técnicos serão trazidos à tona de forma didática com o intuito de inteirar os ouvintes das ferramentas que são e poderão por muito tempo ser utilizadas para controlar o dia a dia das pessoas. Inteligênica Artificial, Big Data, Sistemas Especialistas, Implantes Biomédicos, Broadcast signal intrusion, Spoofing attack, são apenas algumas das palavrinhas que serão abordadas durante esta apresentação.


 


 

Minicurso de Processamento de Imagens Digitais

O objetivo do minicurso é consolidar uma base de conhecimento geral na área de processamento de imagens digitais que permitirá que, posteriormente, os alunos avancem em seus estudos de forma independente. De início, espaços de cores, pixels, alguns filtros básicos, dentre outros conceitos, serão abordados e com isso bem claro, algumas áreas mais avançadas serão pinceladas como esteganografia e as técnicas de compressão do JPEG. É um minicurso bem prático onde os códigos serão desenvolvidos em Python fazendo com que, a cada novo conceito aprendido, resultados possam ser visualizados através de código escrito pelos próprios alunos.

Minicurso introdutório de Git

O objetivo do minicurso é fornecer uma capacitação mínima, o mais abrangente possível, de modo que os presentes obtenham o ferramental necessário para contribuir através do GitHub com softwares livres. Além do GitHub, o GitLab também será apresentado já que é a maior solução livre para este fim, mas por questões práticas (e por um maior número de repositórios estarem no GitHub), os exemplos serão com reposiótrios no GitHub.

O Python na saúde pública brasileira

Nessa apresentação irei falar sobre alguns sistemas e ferramentas que o Ministério da Saúde utiliza que são escritas em Python. Dentre várias desenvolvidas pelo Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde da UFRN , irei citar três: O Projeto Telessaúde, o Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica e o Projeto de Livre Trânsito de Profissionais do Mercosul.

O sucesso da tecnologia em função da liberdade de software

Liberdade é um termo bastante recorrente nos debates do dia a dia, e com o avanço da tecnologia o termo vinculado aos avanços tecnológicos também tem sido trazido a tona com frequência. Ainda assim, torna-se cada vez mais complicado de compreender de fato o que significa liberdade a medida que se aumenta a abstração. Em um momento discute-se a importância da liberdade de escolha, da liberdade religiosa, elucidada através de direitos, e no outro fala-se de liberdade de software. Será que é o direo do software ir e vir?! Nessa apresentação iremos não só pontuar os direitos essenciais para um software ser livre como fazer uma reflexão sobre como esses detalhes tem relação estreita com os maiores avanços da computação no mundo.

SFD adverte: O software não-livre pode ser prejudicial à sua saúde.

O número de dispositivos invadindo nossas residências e automatizando nossas tarefas diárias é crescente em muitos lugares do mundo. O próximo passo, no entanto, será dispositivos entrando em nossos corpos e sistemas de informação gerenciando a nossa saúde. Será que o fato desses softwares serem não-livres tem algum impacto negativo? Será que a falta de liberdade irá ultrapassar o mero desconforto para um risco real à sua saúde? Nesta apresentação, iremos falar não só de sistemas de informação como também de bombas de insulina e implantes médicos como marcapassos.